Papa defende lei de união civil para casais do mesmo sexo

Escrito por em 22/10/2020

“As pessoas homossexuais têm direito de estar em uma família. Elas são filhas de Deus e têm direito a uma família. Ninguém deverá ser descartado ou ser infeliz por isso… O que precisamos criar é uma lei de união civil. Dessa forma eles são legalmente contemplados “, disse o Papa Francisco, líder da igreja católica.

Papa Francisco acenando para o público – Foto: Gregorio Borgia/AP

As afirmações de forma clara e explícita estão em um documentário que entrou em cartaz nesta quarta-feira, 21 na Itália, informou o The Whashington Post.

Nele, o Papa pediu a criação de leis de união civil para casais do mesmo sexo, comentário que rompe com o ensino oficial da Igreja Católica e marca seu mais claro apoio à questão LGBT até o momento.

As falas, confirmadas pela Agência Católica de Notícias, estão na metade do filme, no qual Francisco também se posiciona sobre temas como meio-ambiente, pobreza, migração, desigualdade racial e de renda e pessoas mais afetadas por discriminação.

A entrevista do Papa foi dada ao cineasta, Evgeny Afineevsky.

Estreia

O filme foi exibido no Festival de Roma nesta quarta-feira e no próximo domingo, 25, será exibido nos EUA pela primeira vez durante o Savannah Film Festival.

O diretor Evgeny Afineevsky acabou as gravações em junho de 2020.

O filme fala de temas como a pandemia, racismo e abuso sexual. Há temas geopolíticos também, como a guerra na Síria e na Ucrânia.

União civil, não casamento

Há tempos o Papa Francisco já dava sinais velados que poderiam ser interpretados como uma opinião favorável à união civil, nao ao casamento entre homossexuais.

Em um vôo para Roma em 2018, o Papa Francisco disse que as crianças que mostram “tendências homossexuais” devem ser tratadas com compreensão e não ser condenadas ou ignoradas. (Reuters)

“Esta é a primeira vez como papa ele está fazendo uma declaração tão clara”, disse o reverendo James Martin, um importante jesuíta que defendeu que a Igreja recebesse mais abertamente os membros LGBT, em entrevista por telefone na quarta-feira.

“Acho que é um grande passo em frente. No passado, até mesmo as uniões civis eram desaprovadas em muitos setores da igreja. Ele está colocando seu peso no reconhecimento legal das uniões civis do mesmo sexo.

Nova postura

Oficialmente, a igreja ensina que os atos sexuais homossexuais são “desordenados”. O antigo Papa Bento XVI, chamou a homossexualidade de um “mal moral intrínseco”.

Francisco não alterou a doutrina, mas afastou a Igreja dessa postura, para a ira dos conservadores, que o acusam de ajustar o ensino aos tempos modernos.

Fonte: The Whashington Post


Opiniões dos leitores

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.Campos obrigatórios marcados com *



[Não há estações de rádio no banco de dados]