‘Doença da urina preta’: irmãs são internadas em hospital no Recife depois de comer peixe, diz família

Escrito por em 24/02/2021

Flávia e Pryscila Andrade foram diagnosticadas com Síndrome de Haff, após ingerir arabaiana, segundo mãe e irmã. Uma delas está na UTI. Secretaria de Saúde diz que estado tem cinco casos suspeitos.

Foto: Reprodução/WhatsApp

Duas irmãs foram internadas em um hospital particular no Recife ao se sentir mal e apresentar dores, após comer peixe da espécie arabaiana. Segundo a família delas, os médicos confirmaram o diagnóstico de Síndrome de Haff, conhecida como “doença da urina preta”. O governo de Pernambuco informou que investiga cinco casos dessa doença rara.

A empresária Flávia Andrade, de 36 anos, e a irmã dela, a médica veterinária Pryscila Andrade, de 31 anos, chegaram ao Hospital Português, no bairro do Paissandu, na área central da capital pernambucana, no dia 16 de fevereiro.

A internação ocorreu horas após almoço, que tinha no cardápio o peixe arabaiana, também conhecido como “olho de boi”, de acordo com a mãe das pacientes, a empresária Betânia Andrade. O alimento foi comprado no bairro do Pina, na Zona Sul da capital.

“Flávia fez um almoço na última quinta-feira e convidou eu e Pryscila. Além de nós, tinha o filho de Flávia, de 4 anos, e duas secretárias. Os cinco comeram o peixe, menos eu. Quatro horas depois, Pryscila enrijeceu toda, teve cãibra dos pés até a cabeça e não conseguia andar. Meu neto, de madrugada, teve dores abdominais e diarreia, e as duas secretárias sentiram dores nas costas”, disse.

Fonte G1


Opiniões dos leitores

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.Campos obrigatórios marcados com *



[Não há estações de rádio no banco de dados]