Polícia alerta sobre perfil ‘homem Pateta’ que incentiva crianças ao suicídio

Escrito por em 02/07/2020

Foto: Reprodução/internet

Perfis com a foto de um homem com rosto de cachorro, identificado com o nome Jonathan Galindo, mandam mensagens de terror e estimulam até o suicídio

Depois da ‘Momo’ e do desafio da baleia azul, um novo personagem que incentiva crianças e adolescentes a se mutilarem e até mesmo atentarem contra a própria vida, surgi na internet. No último fim de semana, a Polícia Civil alertou sobre um perfil conhecido como ‘Homem Pateta’, que manda jogos e brincadeiras na intenção de levar a vítima para uma conversa privada. Sozinho com o menor, a pessoa por trás do perfil, identificado como Jonathan Galindo, incentiva mutilação e até o suicídio.

No Programa Encontro com Fátima Bernardes, exibido nesta segunda-feira (29), a delegada de Santa Catarina, Patrícia Zimmermann, que está acompanhando denúncias envolvendo os perfis, fez um alerta aos pais e explicou como esses perfis agem para fisgar as vítimas. “A pessoa que está por trás desse perfil começa a mandar imagens, links, desafios, até o momento em que a criança clica e vai para uma mensagem privada. Estando nesta conversa privada, ele começa a intimidar e assustar, e até mesmo incitar o suicídio”, explica.

A polícia já descobriu que há diversos perfis com o nome de Jonathan Galindo e com a foto de um homem com traços de cachorro, que lembra o personagem Pateta do Walt Disney. Uma mãe de criança de 10 anos, que teve a identidade preservada, relatou situação passada pelo filho com um desses perfis.

“Há uns 10 dias, meu filho perguntou se podia dormir no meu quarto. Estava trêmulo e com muito medo. Eu comecei a perguntar e veio uma crise de pânico que foi muito feio de ver. Aí, ele disse que, pela manhã, viu um vídeo em que um perfil de Jonathan Galindo mandava o meu filho se jogar de um prédio”.

A delegada disse ainda que é muito importante o controle dos pais sobre o conteúdo acessado pelos filhos na internet, principalmente nesta época de isolamento social, em que muitas crianças estão em casa, com acesso a computadores e celulares, e pediu para que as vítimas denunciem.

“Você deve esclarecer ao seu filho o que ele pode ou não pode, estabelecer limites. Conversar, orientar e, se acontecer, acolher. Caso o seu filho tenha tido contato, é muito importante que não apague a rede social e as mensagens, faça um boletim de ocorrência. Esses dados são muito importantes para a investigAutoridades policiais investigam o paradeiro do dono da conta original nas redes sociais.

 

____

Fonte: G1/Portal da Cidade


Opiniões dos leitores

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.Campos obrigatórios marcados com *



[Não há estações de rádio no banco de dados]